5 erros comuns na cobrança de clientes

A gestão de cobrança de clientes é a principal forma de recuperação de créditos de uma empresa. É ela que permite retomar parte do montante de créditos suspensos por meio do contato com os inadimplentes.

Nesse momento, o contato com o cliente é muito importante e deve ser feito com atenção e qualidade é essencial levar em consideração o momento financeiro em que a pessoa se encontra. Assim, é possível realizar boas negociações, garantir eficiência e resultados com os seus trabalhos.

Pensando nisso, desenvolvemos este post para falar sobre alguns erros que uma empresa não pode cometer ao cobrar o cliente, mostrando de que forma isso impacta no relacionamento com o público e como pode prejudicar futuras negociações. Quer saber mais sobre o assunto? Continue a sua leitura até o final!

1. Fazer cobrança insistente de clientes

Perturbar o cliente com ligações fora do horário comercial ou no seu horário de descanso, com insistência, é uma ação vedada pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC).

A persistência na cobrança tem baixa efetividade e é uma prática totalmente abusiva. Ao fazer contatos muito frequentes, o inadimplente poderá ficar irritado e, dessa forma, não terá mais interesse em negociar a dívida com a empresa.

2. Não ter gestão estratégica de cobrança

Para obter resultados satisfatórios na cobrança, é preciso desenvolver uma gestão estratégica. A padronização dos procedimentos dessa atividade facilita a comunicação entre a empresa e o consumidor, pois a organização passa a ter uma estratégia comum para agir perante certas dificuldades. 

Portanto, é necessário definir um formato de atuação, determinando onde, quando e como agir na busca pela recuperação de crédito de forma que todas as atividades sejam otimizadas.

3. Não oferecer opções flexíveis para a quitação da dívida

É fundamental que os gestores da área de cobrança organizem as informações a serem levantadas sobre o inadimplente antes de iniciar o processo. Um exemplo disso é verificar a capacidade de pagamento do cliente e o seu nível de endividamento.

Diante disso, é importante considerar que a regularização do passivo afetará o orçamento mensal do cliente e, por isso, será necessário oferecer opções flexíveis de quitação da dívida e parcelamento. Nesse caso, é imprescindível definir estratégias de cobrança de acordo com o perfil do devedor. Isso permitirá que a empresa aja de maneira mais otimista sem ter frustrações durante a tentativa de negociação.

4. Desrespeitar os direitos do consumidor

Conforme o artigo 42 do Código de Defesa do Consumidor, na cobrança de clientes não deve haver exposição ao ridículo nem submissão do inadimplente a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça.

Isso quer dizer que as práticas descritas no artigo 71 do mesmo código são desprezíveis e suscetíveis de penalidades, como multa e detenção de 3 meses a 1 ano do responsável pela prática.

5. Demonstrar desinteresse em manter o vínculo com seu cliente

Em meio a tanta competitividade, o ideal é que o inadimplente quite suas dívidas e ainda continue seu cliente. Para isso, a empresa deve evidenciar ao consumidor por que ele é importante, fortalecendo o seu vínculo com ele. Dessa maneira, o sucesso no contato com cliente tende a ser maior.

De outra forma, o consumidor pode se sentir constrangido, romper o relacionamento com a empresa e ainda fazer uma propaganda negativa dela.

Diante de todos esses aspectos, a organização deve adotar uma postura de respeito e ética em seus processos de cobrança de clientes, evitando problemas com a justiça e mantendo um bom relacionamento com o consumidor sempre respeitando sua integridade, honra e privacidade. Dessa forma, a imagem da empresa se mantrá positiva no mercado.

Se você está em busca de serviços na área de recuperação de créditos, nós, da empresa Capital Doc Brasil, oferecemos a solução que melhor se encaixa às suas necessidades. Entre em contato conosco e conheça nossos serviços!

Deixe um comentário